Notícias

Viagens

Trilhas que passam pela Mata Atlântica e maior queda d’água de MG: Conheça a Rota das 10 Cachoeiras

Entre as quedas d’água que fazem parte do circuito está a cachoeira do Tabuleiro, a mais alta de Minas Gerais e a terceira maior do Brasil. Cachoeira do Tabuleiro
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
oCircuito indispensável para os trilheiros e turistas de Minas Gerais, a cidade Conceição do Mato Dentro, que fica na Região Central, é casa de duas maiores cachoeiras de todo o estado. Além das gigantes de Minas, existe um trajeto h
Destino indispensável para turistas e moradores de Minas Gerais, Conceição do Mato Dentro, na Região Central, é a casa da cachoeira mais alta do estado e a terceira maior do Brasil, a Tabuleiro. Mas para além da gigante de Minas, existe um trajeto pouco explorado que faz valer todas as horas de caminhada.
A Rota das 10 Cachoeiras fica dentro dos parques Estadual da Serra Tendente e o Natural do Tabuleiro. Ela foi criada em 2017, quando o Instituto Estadual de Florestas (IEF) apresentou um projeto para a prefeitura de Conceição do Mato Dentro com o intuito de valorizar outras quedas d’água.
Trilhas, espécies raras e a maior queda d’água de Minas: conheça a Cachoeira do Tabuleiro, interditada nesta semana
Caminhada que vale a pena
Para os visitantes que vão conhecer todo o percurso é importante saber que são 91 quilômetros ao todo — somando ida e volta. As trilhas são corredores ecológicos que ligam os dois parques, e variam entre os graus de dificuldade leve, moderada e difícil. (veja mais abaixo)
No percurso, estão as comunidades quilombolas Três Barras, PassaMinas, do Tabuleiro, Candeias e Baú.
🚶‍♀️Para completar toda a rota a pé, o turista precisa separar, em média, oito dias.
Há também a possibilidade de percorrer o trajeto em dias alternados, visitando os circuitos separadamente (veja abaixo os trechos).
Mapa da Rota das 10 Cachoeiras
Reprodução
10 cachoeiras
A rota é composta pelas cachoeiras: Três Barras, Peixe Cru, Quedas do Ribeirão do Campo, Tabuleiro, Congonhas, Altar, Rabo de Cavalo, Bocaina, Gurita e Prainha.
De todas, a única que não pode ser visitada é a do Tabuleiro. Ela está interditada desde o dia 13 de novembro de 2023, por causa de um risco de deslocamento de rochas, e ainda não há previsão para liberação.
O gerente do Parque Estadual Serra do Intendente, Marcos Alexandre dos Santos, explica que o caminho foi pensado para que o turista consiga otimizar o tempo de caminhada e conheça, também, as tradicionais especiarias e artesanatos mineiros durante o trajeto.
“As cachoeiras não são tão longe uma das outras, mas ficam em entradas independentes, e em comunidades diferentes. Então, a gente precisava interligar essas cachoeiras, e a rota acabou criando um anel rodoviário em torno do parque, possibilitando essa ligação entre as dez”, disse.
Turismo comunitário
Membros da Associação Comunitária Rota das 10 Cachoeiras
Arquivo pessoal
Para além da beleza natural das quedas d’água, a Rota das 10 Cachoeiras possibilita que as comunidades locais consigam viver do trabalho que vem do turismo comunitário.
É com o serviço dos guias, com as hospedagens nas pousadas e com o comércio regional que esses moradores se sustentam.
Há cerca de três anos, a comunidade criou a Associação da Rota das 10 Cachoeiras para desenvolver o turismo local. A sede fica logo no início do circuito, no Trecho A.
“O turista sempre pergunta qual o trecho mais difícil, como é a acessibilidade, quais são as maiores dificuldades. Mas a região é tão linda que até nos trechos mais difíceis passam despercebidos. Então, é só chegar que vai ser muito bem recebido”, contou a líder da Associação, Beth Diana.
A Rota
Trecho A: cachoeiras de Três Barras e do Peixe Cru
🚵 O trecho A é o mais curto e o mais fácil de se completar. São 5,7 quilômetros, que vai desde a comunidade quilombola de Três Barras e finaliza na comunidade de Cubas. No percurso estão presentes as cachoeiras de Três Barras e do Peixe Cru.
Cachoeira de Três Barras
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira do Peixe Cru
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Trecho B: Ribeirão do Campo e Cachoeira do Tabuleiro
🥵 O trecho B é considerado difícil por causa dos morros íngremes e a distância. No entanto, a vista de cima compensa toda a caminhada. No percurso estão as cachoeiras Ribeirão do Campo e a mais famosa de toda a Rota, a do Tabuleiro.
Cachoeira Ribeirão do Campo
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira do Tabuleiro
Alexandré Sá/ TG
Trecho C: Congonhas, Cachoeira do Altar e do Rabo de Cavalo
💦 O trecho que liga Tabuleiro à Região do Parauninha tem dificuldade moderada. Parte da trilha fica em descidas, e não é necessário tanto esforço físico para a caminhada. O percurso passa por pequenas propriedades rurais e os turistas podem apreciar parte da Mata Atlântica.
Três cachoeiras podem ser visitadas no percurso: Cachoeira de Congonhas, na região do Tabuleiro; Cachoeira do Altar e a Cachoeira do Rabo de Cavalo, essas duas últimas na região da Parauninha.
Cachoeira Congonhas
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira do Altar
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira Rabo de Cavalo
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Trecho D: cachoeiras do Bocaina, da Gurita e Prainha
⛰️ É o segundo maior percurso da rota e por isso considerado de moderado nível de dificuldade. Nessa parte da trilha, um dos pontos marcantes é a paisagem impressionante do vale da Parauninha, em meio aos paredões do Parque Estadual Serra do Intendente e da Serra do Funil.
Cachoeira de Bocaina
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira Gurita
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Cachoeira Prainha
Divulgação/Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
Biodiversidade
Ações voluntárias de sinalização da Rota das 10 Cachoeiras
Arquivo pessoal
De acordo com a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, uma das características mais importantes da Rota é a diversidade de cachoeiras e a biodiversidade dos parques.
Só no Parque Natural Municipal do Tabuleiro são pelo menos 106 espécies de animais — entre aves, mamíferos e peixes — e uma flora diversa com mais de três mil tipos de espécies vegetais. Entre janeiro e outubro de 2023, o local recebeu 16,5 mil visitantes.
Confira os vídeos mais vistos no g1 Minas:

botão de play

No Ar

NIGHT SONGS
Produção Eduardo Dj