Notícias

Pop & Arte

Wagner Moura toma os EUA de assalto com ‘Guerra Civil’; relembre atores brasileiros em Hollywood

Ator conquista seu primeiro protagonista em uma grande produção americana, e consolida onda de atores nacionais tentando a sorte nos Estados Unidos. Wagner Moura toma os EUA com ‘Guerra Civil’; relembre brasileiros em Hollywood
Nesses últimos dias, pelo menos entre fãs de cinema brasileiros, se falou de muito pouca coisa além de Wagner Moura e seu novo filme, “Guerra Civil”. Assista ao vídeo acima.
ENTREVISTA: ‘Comecei a escutar mais, falar menos’, diz Wagner Moura após estrelar ‘Guerra Civil’
Esta é, afinal de contas, a primeira grande produção de Hollywood a colocar o brasileiro como um de seus protagonistas.
Mas o sucesso do ator faz parte de uma onda brasuca que tem tomado o cinema americano nos últimos anos.
Além de Moura e Alice Braga, outros nomes nomes têm conquistado papéis relevantes, como Bruna Marquezine e Gabriel Leone. Relembre abaixo:
Consolidados
Brasil em Hollywood não é algo atual, é claro. Antes da atual geração, vimos nomes como Sônia Braga brilhar por lá. Desde então, Rodrigo Santoro também conseguiu seu canto.
Ambos são precursores, no entanto. Dessa nova geração, talvez seja justo lembrar primeiro de Alice Braga, sobrinha de Sônia. Revelada por aqui em “Cidade de Deus”, a atriz se mandou pros Estados Unidos alguns anos depois.
Alice já esteve em um diversos filmes e séries, como “Eu sou a lenda” (2007), “Ensaio sobre a cegueira” (2008), “Predadores” (2010), “A rainha do sul” e “Elysium” (2013).
A ficção científica de 2013, protagonizada por Matt Damon, também foi a primeira incursão estrangeira de Wagner Moura.
Em um papel menor, o ator retornou ao Brasil, fez o ótimo “Praia do futuro” (2014) e assumiu o protagonismo na série “Narcos”, que tornou seu nome conhecido em Hollywood.
Depois disso, se mudou para lá em busca de papéis que fugissem de estereótipos de personagens latinos e fez “Wasp: Rede de espiões” (2019), “Sérgio” (2020) e a série “Sr. e Sra. Smith” até chegar ao protagonismo no excelente “Guerra Civil”.
Na linha de largada
Além dos dois, com carreiras mais consolidadas, temos um grupo que tem conseguido boas oportunidades por lá.
A primeira que vem à mente é Bruna Marquezine, que bateu na trave ao tentar interpretar a Supergirl em “Flash” (2023) – e escapou de um destino terrível. A experiência serviu também para ficar conhecida na Warner e rendeu um papel no bem mais legal “Besouro Azul” (2023).
Outro que começou há pouco uma promissora carreira internacional foi Gabriel Leone (que inclusive contracenou com Alice em “Eduardo e Mônica”).
O ator recentemente teve um papel de destaque em “Ferrari” (2023), projeto de ninguém mais ninguém menos que Michael Mann, um dos maiores diretores de todos os tempos.
Sophie Charlotte seguiu um caminho parecido. A participação não era tão grande, mas a brasileira trabalhou com Michael Fassbender em “O assassino” (2023), dirigido pelo grande David Fincher.
Bem também no cinema está Maria Fernanda Cândido, que iniciou carreira internacional primeiro na Itália, com um papel central no filme “O traidor”, de 2019.
A atriz chegou a Hollywood dentro do universo Harry Potter em “Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore”, de 2022. A participação foi pequena, mas o personagem era de grande importância. “Apenas” a recém-eleita Chefe Suprema da Confederação Internacional dos Bruxos.
Por último, mas não menos importante, temos Marcos Pigossi como o representante brasileiro na série “Gen V”, derivada do grande sucesso “The Boys”. Na trama, ele interpreta um dos líderes de uma organização sinistra.

botão de play

No Ar

THE MUSIC OF TIME
Produção Diego Ferrari