Notícias

Pop & Arte

RETROSPECTIVA 2023 – Luísa Sonza experimenta a bossa e a fossa com a controvertida canção ‘Chico’

O ano musical fica marcado pelo ‘escândalo íntimo’ da artista e, entre uma polêmica e outra, quase ninguém permaneceu indiferente à cantora. ♪ RETROSPECTIVA 2023 – Impossível chegar ao fim do ano sem ter ouvido falar de Luísa Sonza. Ou sem querer opinar sobre Luísa Sonza. Quando lançou em 29 de agosto o terceiro álbum, Escândalo íntimo, a artista gaúcha certamente jamais supôs que o título do disco seria premonitório.
Álbum pautado por emoções reais, Escândalo íntimo apresentou repertório autoral em que sobressaiu Chico, canção que evocou a atmosfera da bossa nova.
A composição de Bruno Caliman, Carolzinha, Douglas Moda, Jeni Mosello e Luísa Sonza destilou romantismo vintage em letra que incluiu versos apaixonados como “Chico, se tu me quiseres / Sou dessas mulheres de se apaixonar / Pode fazer a sua fumaça / O bar da cachaça / Vai ser nosso lar / E, Chico, se tu me quiseres / Debato política, tomo o teu partido / E se for pra repartir o amor / Que reparta comigo”.
O Chico do título e da letra era o então namorado da artista, Chico Veiga, mais conhecido como Chico Moedas. Mas bem poderia ser outro Chico, o Buarque, porque havia na letra alusão ao verso inicial do bolero Folhetim (1978).
Chico, a canção, já causou polêmica nas redes sociais na primeira quinzena de setembro com a discussão se a música seria ou não uma bossa nova. Ninguém menos do que Caetano Veloso defendeu a ideia em rede social de que, sim, havia levada de bossa nova no violão da gravação.
Mas a polêmica maior aconteceria na segunda quinzena daquele mês de setembro. Um site revelou que Chico Veiga teria traído Luísa em bar do Rio de Janeiro (RJ) e, na manhã de 20 de setembro, a cantora admitiu ter sido traída no programa ao vivo da apresentadora Ana Maria Braga, Mais você (Globo), lendo texto em que expunha a recusa de aceitar a traição e de continuar o namoro com o influenciador. A carta lida por Sonza virou assunto nacional.
No embalo do escândalo íntimo da colega, a cantora Ana Carolina pegou carona na exposição de Chico e, em show feito em 21 de outubro com Sonza na plateia, incluiu a canção (sem o verso que citava o nome do influenciador na letra) no roteiro com sentido lésbico na letra. O efeito midiático foi imediato.
Enfim, Luísa Sonza experimentou a bossa e a fossa com Chico no segundo semestre de 2023, frequentando assiduamente as manchetes. E termina o ano com a página virada, documentário na Netflix – Se eu fosse Luísa Sonza, controverso como quase tudo que se refere à artista – e show programado para o réveillon de Fortaleza (CE).
Até mesmo um comentário desafinado de Luana Piovani em rede social ao apagar das luzes do ano (“Não consigo ouvir as músicas dela”) reforçou que quase ninguém ficou indiferente a Luísa Sonza em 2023.
Acompanhe a RETROSPECTIVA 2023 do Blog do Mauro Ferreira:
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Brasil perde Rita Lee, João Donato, Leny Andrade, Carlos Lyra e outros gigantes da música
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Festivais dominam calendário de shows e consagram astros brasileiros
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Cedo ou tarde, bandas voltam para dizer adeus em ano marcado pelo reencontro apoteótico dos Titãs
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Ana Frango Elétrico orquestra amadurecimento precoce com o terceiro álbum
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Tributos a Gal Costa tentam amenizar a saudade da cantora no nicho da MPB
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Dori Caymmi, Edu Lobo e Marcos Valle festejam 80 anos com discrição
♪ RETROSPECTIVA 2023 – Ludmilla coroa (outro) ano consagrador com nome em lista de artistas emergentes no mercado latino

botão de play

No Ar

NIGHT SONGS
Produção Eduardo Dj