Notícias

Pop & Arte

No ‘Altas Horas’, Eduardo Dussek fala sobre diagnóstico de Parkinson: ‘Doença não pode te dominar’

Cantor teve o diagnóstico do quadro há cerca de 10 anos. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é a de que 200 mil pessoas tenham Parkinson no Brasil. Ney Matogrosso e Eduardo Dussek.
Globo/Divulgação
O cantor, compositor e ator Eduardo Dussek participou do “Altas Horas” da TV Globo do último sábado (25) e falou sobre o diagnóstico de Parkinson que recebeu há cerca de 10 anos.
“Eu tenho Parkinson, quem não sabe é uma doença muito chique. Tem até uma avenida, a Parkinson Avenue”, brincou Dussek no programa, que foi dedicado a Ney Matogrosso, promovendo encontros do cantor com amigos que não via há vários anos.
“A doença não pode te dominar. Você diz que ela é um fator de eliminação. E é um fator de eliminação. Mas eu rio de tudo”, contou Dussek, que também cantou a música “Seu Tipo” em homenagem ao amigo.
“Quando eu cheguei no médico ele deu o diagnóstico depois de duas horas. Aí eu perguntei quais são os sintomas. Ele falou rigidez e tremor nas mãos. Aí eu falei que pelo menos facilita a masturbação. Tem uma coisa boa aí”, disse Dussek aos risos.
“Esse não é um show com tremor. É um tremendo show”, acrescentou.
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é a de que 200 mil pessoas tenham Parkinson no Brasil.
A doença afeta os movimentos da pessoa. Ela ocorre por causa da degeneração das células que produzem a dopamina, que conduz as correntes nervosas (neurotransmissores) ao corpo. A falta ou diminuição da dopamina afeta os movimentos, provocando sintomas como tremores, rigidez muscular, desequilíbrio.
O Parkinson não tem cura, mas os tratamentos disponíveis garantem o mínimo de qualidade de vida para os pacientes
O diagnóstico da doença é feito com base na história clínica do paciente e no exame neurológico. Não há nenhum teste específico para o seu diagnóstico ou para a sua prevenção.

botão de play

No Ar

MELODY
Produção Eduardo Dj