Notícias

Pop & Arte

Micareta eletrônica? Do techno ao trance, saiba diferenciar ritmos que embalam carnaval alternativo

g1 ouviu produtores musicais que detalharam as características das principais vertentes da música eletrônica. Do techno ao trance, saiba diferenciar as vertentes da música eletrônica
Axé, samba, marchinhas e por que não música eletrônica? Blocos de ruas, trios elétricos e festivais desse estilo musical já são realidade no carnaval brasileiro e embalam foliões ao som das diversas vertentes do gênero, como house, techno e trance.
Mas você consegue distinguir toda essa diversidade de estilos da música eletrônica? Para isso, o g1 convidou três produtores musicais e DJs que vão se apresentar no maior carnaval de música eletrônica do Brasil em número de atrações, realizado em um complexo de entretenimento em Valinhos (SP). São eles:
Vegas: DJ e um dos maiores produtores de Psy Trance do mundo
Murphy: produtor e DJ de Techno com 32 anos de carreira nacional e internacional
Carol Fávero: produtora e DJ de Tech House e revelação da música eletrônica
A reportagem pode ser assistida no vídeo acima e também foi detalhada em texto em cinco tópicos:
O que é a música eletrônica
Trance psicodélico
Techno e suas vertentes
House e suas vertentes
Carnaval de eletrônica
LEIA TAMBÉM: Carnaval de música eletrônica no interior de SP terá Peggy Gou, Disclosure, Artbat, Vegas e Maz; veja line-up
Valinhos, na região de Campinas, recebe maior carnaval de música eletrônica do Brasil
Alisson Demetrio/ Laroc Club
O que é a música eletrônica
Segundo Murphy, a música eletrônica é um gênero musical que se iniciou nos anos de 1970 na Alemanha. Trata-se de músicas criadas a partir de equipamentos eletrônicos, como baterias eletrônicas e sintetizadores e, quase sempre, construídas pelo computador.
Atualmente, a vertente mais popular e comercial é o EDM (Eletronic Dance Music), que reúne vários sub-gêneros da música eletrônica com vocais de músicas pop. Entre os grandes nomes do EDM, estão os brasileiros Vintage Culture e Alok, e DJs estrangeiros como Tiesto, David Guetta, Martin Garrix e Alesso.
Para diferenciar as vertentes da música eletrônica é preciso ter em mentes duas coisas:
BPM: O número de batidas da música por minuto, usado para identificar a velocidade rítmica. Na música eletrônica, o House costuma ter o menor BPM, o Techno fica intermediário e o Trance, geralmente, é o que com as batidas mais rápidas.
Elementos: instrumentos, graves, sintetizadores, baterias, percussões, vocais são algumas das características que caracterizam uma vertente da música eletrônica.
Trance psicodélico
O Trance Psicodélico (Psy Trance) é, segundo Vegas, a vertente mais forte do Trance atualmente. Além de BPM girando em torno de 140, o Psy é uma vertente orgânica com vocais que apresenta elementos musicais da Índia, onde originou, como mantras, melodias e instrumentos indianos. “No Psy Trance, eu acho que é mais forte essa vibe, essa sensação de liberdade”, contou Vegas.
Além de Vegas, tem destaque na cena trance os DJs Armin Van Buuren, Astrix, Blazy e Aura Vortex.
Techno e suas vertentes
Techno clássico: nascido em Detroit (EUA), tem como característica o uso de piano e acordes longos. Expressa sons industriais das fábricas da região, apreciadas em festas feitas em galpões abandonados da época. Possui batidas mais fortes que House. Em destaque na vertente, estão as DJs estrangeiras Charlotte de Witte e Amelie Lens e os brasileiros Murphy, Anna e Renato Ratier.
Melodic Techno: é uma vertente em alta na música eletrônica. Mescla as batidas de techno com melodias expressivas e, em boa parte das vezes, vocais. É uma vertente que transmite muita emoção, segundo Murphy. Entre os artistas em destaque na vertente, estão estrangeiros Camelphat, Tale of Us e Artbat e os brasileiros Binaryh e Blancah.
Hardstyle Techno: tem BPM mais alto que Techno e como marca batidas muito fortes, obscuras e rápidas. “É a tal da martelada”, contou Murphy. Lilly Palmer, Acid Asian, ki/Ki e Fernanda Martins são alguns dos DJs de destaque na área.
House e suas vertentes
House clássico: é um dos gêneros mais antigos da música eletrônica, que carrega elementos da disco music e da música negra. “Pai” de diversos outros gêneros como o techno, continua sendo o gênero predominante da EDM. Artistas para ouvir na vertente: Mochakk, Purple Disco Machine e Illusionize.
Afro House: é a vertente mais orgânica da House, com muitas percussões e também vocais que carregam ancestralidade. Artistas em destaque: Maz, Antdot, Keinemusik, Curol e Black Coffee.
Tech House: é uma vertente do house que carrega elementos de techno como pratos e baixos. É marcado pelo maior presença de bateria e um BPM mais acelerado, que gêneros melódicos. DJs para ouvir: Gabe, Glen, Jamie Jones, Volkoder e Classmatic.
Carnaval de eletrônica
Segundo os DJs ouvidos pelo g1, a música eletrônica tem ganhado cada vez mais espaço no Carnaval. Já são inúmeros blocos de rua com o gênero em Belo Horizonte, como o CarnaKvsh, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em Salvador, tem Pipoca do Alok com cinco horas de trio elétrico.
Em Valinhos, um complexo de entretenimento com dois clubs recebe o maior carnaval de música eletrônica do Brasil. Cerca de 50 DJs estrangeiros e brasileiros vão se revezar em três dias de festa. Entre as atrações, a DJ sul-coreana Peggy Gou, a dupla ucraniana Artbat, o duo inglês Disclosure e os brasileiros Vegas, Maz e Cat Dealers.
VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas

botão de play

No Ar

NIGHT SONGS
Produção Eduardo Dj