Notícias

Pop & Arte

Maria Alcina prega a liberdade de gênero em ‘Romeu ou Julieta’, marcha inédita de João Roberto Kelly

Capa do single ‘Romeu ou Julieta’, de Maria Alcina
Divulgação
♪ “Adivinhe quem quiser / Se sou homem ou mulher / Eu sou mistura de Romeu com Julieta / Eu sou a cara do futuro do planeta”, relativiza Maria Alcina nos versões do refrão da inédita marcha Romeu ou Julieta.
O compositor é um veterano folião de 85 anos, João Roberto Kelly, autor de marchinhas antológicas como Cabeleira do Zezé (1964), Mulata Yê Yê Yê (1964), Dança do bole bole (1977) e Maria Sapatão (1981).
Em Romeu ou Julieta, Kelly sai em defesa da diversidade e da liberdade de gêneros, em versos afinados com a flexibilização dos papéis masculino e feminino na sociedade contemporânea.
Com produção executiva de Rodrigo Faour, autor do mote da letra escrita por Kelly, a gravação de Romeu ou Julieta chega ao mundo digital em single programado para quinta-feira, 11 de janeiro.
A direção musical do single Romeu ou Julieta é de Rovilson Pascoal, que toca baixo, cavaquinho e pilota os synths da gravação, ampliando a parceria com Maria Alcina, com quem já trabalhou nos álbuns De normal bastam os outros (2013) e Espírito de tudo (2017).
Já o arranjo de sopros e de voz é do maestro Lincoln Antonio, que atualmente também integra o Bloco do Água Preta, agremiação da Pompeia, bairro de São Paulo (SP) que vem reavivando a tradição das marchinhas inéditas no Carnaval de rua. Aliás, o coro da gravação contou com vários foliões do bloco.
Lincoln Antonio também assina com Rovilson Pascoal e o percussionista Rogério Bastos o arranjo de base do single Romeu ou Julieta, veículo para a reafirmação da verve esfuziante de Maria Alcina, altiva nos versos imperativos – “Se você me quiser / Tem de ser do jeito que eu vier” – que encerram a questão de gênero reposta na pauta carnavalesca por João Roberto Kelly.

botão de play

No Ar

SHOW DA TARDE
Produção Eduardo Dj