Notícias

Pop & Arte

Luisão Pereira, artista que integrou a banda baiana Penélope na década de 1990, morre aos 55 anos em Salvador

♪ OBITUÁRIO – Na certidão de nascimento, constava o nome de Luis Henrique da Silva Pereira (29 de julho de 1968 – 10 de março de 2024). Na certidão artística, Luis Henrique era Luisão Pereira. Ou simplesmente Luisão, compositor, multi-instrumentista e produtor musical baiano, nascido em Juazeiro (BA), também terra natal de João Gilberto (1931 – 2019) e Ivete Sangalo.
A morte de Luisão Pereira na madrugada deste domingo, aos 55 anos, em Salvador (BA), em decorrência de mieloma múltiplo diagnosticado em 2017, entristece o meio musical, em especial o soteropolitano.
Até porque foi em Salvador (BA), cidade para onde migrou em 1986, que Luisão Pereira se consolidou na carreira musical após ter integrado bandas de rock como Conjuntivite e Metalúrgica na adolescência vivida na cidade natal de Juazeiro (BA).
Em Salvador (BA), Luisão fundou a banda Cravo Negro em 1986 e, uma década depois, foi admitido como guitarrista na Penélope, banda fundada por Érika Martins.
Em cena de 1997 a 2004, a banda Penélope deu projeção nacional a Luisão Pereira, sobretudo na época do lançamento do primeiro dos três álbuns da Penélope, Mi casa, su casa (1999).
Com a dissolução da Penélope, Luisão Pereira lançou o primeiro disco solo, Nota de um samba só, em 2006. Em 2007, formou o duo Dois em Um com a violoncelista Fernanda Monteiro.
Desfeito o duo, Luisão ficou novamente solo a partir de 2017, ano em que descobriu ter câncer, um mieloma múltiplo. Foi a batalha contra o câncer, combatido com sessões de quimioterapia, que inspirou o artista a gravar álbum solo autoral como cantor.
Vislumbrado pelo single Licença (2019) e anunciado oficialmente com a edição do single Forte (2023), o álbum Fogo no mar foi lançado em 2 de junho do ano passado.
Com 11 músicas gravadas com as participações de artistas como Mãeana, Marcelo Jeneci e Zé Manoel, o álbum Fogo no mar funcionou como um testemunho da fé de Luisão Pereira na vida que, do (limitado) ponto de vista da matéria, se extinguiu na madrugada de hoje.

botão de play

No Ar

MELODY
Produção Eduardo Dj