Notícias

Pop & Arte

Justiça brasileira condena ator argentino Juan Darthés a 6 anos de prisão por estupro de atriz

Segundo a denúncia, caso aconteceu em 2009 na Nicarágua, quando a atriz Thelma Fardin tinha 16 anos. Darthés, que tem dupla cidadania, mudou-se para o Brasil após ser alvo de uma ordem de prisão emitida pela Interpol. Juan Darthés em cena de ‘Los ricos no piden permiso’
Divulgação
O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), em São Paulo, condenou nesta segunda-feira (10) o ator argentino Juan Darthés a seis anos de prisão pelo estupro em 2009 da atriz Thelma Fardin, quando ela tinha 16 anos. À época, o acusado tinha 45 anos, segundo a advogada da vítima.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias do g1 SP no WhatsApp
O caso foi revelado pela atriz em 2018, como parte do movimento #MeToo na Argentina. Com uma ordem de prisão emitida pela Interpol, Darthés, que também é brasileiro e possui dupla cidadania, se mudou para o Brasil.
O Ministério Público Federal de São Paulo denunciou o ator pelo crime de estupro em abril de 2021, afirmando que “o Brasil possui jurisdição para o processamento e julgamento dos fatos descritos na denúncia, imputados a brasileiro nato”.
A decisão do TRF-3 desta segunda-feira teve placar de dois a um pela condenação. Darthés ainda pode recorrer da sentença. Enquanto a decisão não for definitiva, o ator seguirá em liberdade.
“Essa decisão tem que ser uma esperança para as pessoas que são vítimas e que estão diante de uma pessoa muito poderosa. Há uma possibilidade de justiça”, disse Thelma durante coletiva de imprensa em Buenos Aires.
O g1 tenta localizar a defesa de Juan Darthés.
A atriz argentina Thelma Fardin, durante coletiva de imprensa em Buenos Aires
Natacha Pisarenko/AP
Em dezembro de 2018, Thelma denunciou ao Ministério Público da Nicarágua que havia sido estuprada por Darthés em um hotel de Manágua. O crime, segundo ela, aconteceu durante uma excursão do elenco da série televisiva juvenil “Patito Feo”, em 2009.
A artista tornou a denúncia pública, o que gerou uma onda de apoio entre figuras do teatro e da televisão. Outras atrizes argentinas também denunciaram supostos abusos cometidos por Darthés, que se declara inocente.
Dois dias depois que Thelma revelou o caso, as chamadas ao número de assistência por violência de gênero na Argentina aumentaram mais de 1.200%, segundo dados oficiais.
Entenda o caso
Interpol aciona alerta vermelho para capturar ator argentino acusado de estupro
Segundo relato da vítima, houve conjunção carnal durante uma turnê da novela que ambos contracenavam na época – tanto Fardin quanto Darthés são muito conhecidos na Argentina e a novela infanto-juvenil “Patito Feo” fez muito sucesso.
Thelma Fardin afirma que, em uma noite no hotel em que estavam hospedados, Darthés a beijou no pescoço, colocou a mão dela no pênis dele, praticou sexo oral nela, colocou os dedos em sua vagina e a penetrou — tudo sob constantes negativas da vítima, que disse “não” e lembrou que os filhos dele teriam a idade dela.
Com uma ordem de prisão emitida pela Interpol, Darthés, que possui dupla cidadania, se mudou para o Brasil para fugir da acusação. A Constituição proíbe a extradição de brasileiros nascidos no país.
Em abril de 2021, o Ministério Público Federal em São Paulo denunciou Darthés pelo crime de estupro contra Thelma Fardin.
O ator acabou absolvido pela Justiça em maio de 2023. À época, o juiz do caso afirmou haver “dúvida” quanto à ocorrência da “conjunção carnal”, necessária para a configuração do crime de estupro conforme a redação do Código Penal à época dos fatos.
A defesa da atriz recorreu da decisão.
Thelma Fardin e o coletivo Atrizes Argentinas
Joaquín Salguero/AP Photo
VÍDEOS: mais assistidos do g1

botão de play

No Ar

SHOW DA TARDE
Produção Eduardo Dj