Notícias

Pop & Arte

Hermeto Pascoal tem a liberdade e a genialidade musicais documentadas em álbum, biografia e exposição

Hermeto Pascoal em foto da capa da biografia escrita por Vitor Nuzzi
Mônica Imbuzeiro / Reprodução da capa do livro ‘Quebra-tudo! – A arte livre de Hermeto Pascoal’
♪ Quando Hermeto Pascoal veio ao mundo em 22 de junho de 1936 em Olho d’água, povoado situado perto do município de Lagoa Grande (AL), na região de Arapiraca (AL), certamente ninguém supôs que aquele menino albino e estrábico chegaria aos 88 anos em 2024 com o status de ser considerado um dos maiores músicos do mundo. Um artista que sempre exerceu a música com plena liberdade e com um entendimento mais amplo do conceito de música.
Coincidentemente, três produtos culturais – a exposição Ars sonora Hermeto Pascoal (em cartaz em São Paulo), o livro Quebra-tudo! – A arte livre de Hermeto Pascoal e o álbum Pra você, Ilza – chegam simultaneamente ao mundo para celebrar a genialidade e a liberdade musicais deste artista que detesta ser chamado de Bruxo, mas que ganhou o apelido porque, ao tocar, produz magia.
Eis os conceitos do álbum, do livro e da exposição que documentam a alquimia de Hermeto Pascoal:
Capa do álbum ‘Pra você, Ilza’, de Hermeto Pascoal
Acervo pessoal Hermeto Pascoal / 1999
♪ O álbum Pra você, Ilza
– Assinado por Hermeto Pascoal & Grupo, o álbum Pra você, Ilza foi editado em 28 de maio pela gravadora Rocinante no formato de LP (com dez faixas) e em edição digital (com 13 faixas).
A Ilza do título é Ilza da Silva, a Dona Ilza, mulher com quem Hermeto viveu durante durante 46 anos até a morte dela, em 2000, tendo gerado seis filhos ao longo da união com Ilza.
Na foto da capa, tirada em 1999, o artista aparece com a mulher com quem se casou quando migrou de Lagoa Grande (AL) para o Recife (PE) em 1954. A mulher que foi e é o grande amor da vida de Hermeto Pascoal.
Com o grupo formado pelos músicos Ajurinã Zwarg (bateria), André Marques (piano), Fábio Pascoal (percussão), Itiberê Zwarg (baixo) e Jota P (saxofone), Hermeto apresenta 13 músicas selecionadas dentre as 198 partituras registradas pelo artista em caderno dedicado a Ilza e escrito entre 4 de setembro de 1999 e 20 de março de 2000.
Gravado em fevereiro deste ano de 2024 no estúdio da gravadora Rocinante, situado na região serrana do estado do Rio de Janeiro (RJ), ⁠o álbum reúne as músicas inéditas Passeando pelo jardim, Conversação, ⁠Porto da Madeira, ⁠Do Rio para Recife,⁠ ⁠Seus lindos olhos, Inspirando fundo, Voltando para casa, Recordações de Recife, Sentir é muito bom, Na feira do Jabour, Sol de Recife e No topo do Morro de Aracaju, além da composição-título Pra você, Ilza.
Cabe o aviso de que Voltando pra casa, Na feira do Jabour e No topo do Morro de Aracaju são faixas excluídas do vinil por falta de espaço na edição em LP do álbum Pra você, Ilza.
No estúdio, Hermeto criou do zero os arranjos das 13 faixas – e às vezes até novas partes para as músicas – com a liberdade e a magia que caracterizam o som do artista.
Capa do livro ‘Quebra-tudo! – A arte livre de Hermeto Pascoal’, de Vitor Nuzzi
Mônica Imbuzeiro
♪ O livro Quebra-tudo! – A arte livre de Hermeto Pascoal
– Lançada em 15 de maio pela editora Kuarup Música, a primeira biografia de Hermeto Pascoal foi escrita pelo jornalista paulistano Vitor Nuzzi.
Com o prefácio Decifrando a esfinge de autoria do crítico musical Tárik de Souza e o posfácio Metodologia pascoalense, escrito pelo professor Paulo Tiné, o livro Quebra-tudo! é resultado de pesquisa e de mais de 50 entrevistas feitas por Nuzzi para reconstituir os passos de Hermeto.
Estruturada em 23 capítulos curtos, a narrativa fragmentada de Vitor Nuzzi tem formato mais livre do que o das biografias tradicionais e, embora alinhe fatos importantes da vida e obra do artista, o livro soa mais como um perfil alentado do Bruxo.
Para contar a saga improvável de Hermeto Pascoal, Vitor Nuzzi visitou Olho d’água, terra natal do artista, para entrevistar parentes do músico e pessoas que convidaram com Hermeto naquela fase inicial da vida do instrumentista autodidata, que partiu de Alagoas para o Recife (PE) e, da capital de Pernambuco, foi anos depois para o sudeste do Brasil, em especial para a cidade do Rio de Janeiro (RJ), plataforma para a escalada mundial de Hermeto Pascoal.
Imagem promocional da exposição ‘Ars sonora Hermeto Pascoal’
Divulgação / Sesc São Paulo
♪ A exposição Ars Sonora Hermeto Pascoal
– Com curadoria de Adolfo Montejo Navas, a mostra Ars Sonora Hermeto Pascoal está em cartaz no Sesc Bom Retiro na cidade de São Paulo (SP), de terça-feira a domingo, até 3 de novembro.
Com desenhos, objetos e instalações, a exposição apresenta a produção visual do artista, dinamitando fronteiras entre as artes plásticas e a música para celebrar a trajetória artística e o legado cultural de Hermeto Pascoal.
A mostra está em sintonia com a visão de um artista que já sentenciou que ⁠“A música pra mim não é um instrumento musical. Pra mim, tudo é música. Qualquer movimento. Da percussão, do som, da imagem, do audiovisual”.

botão de play

No Ar

SHOW DA TARDE
Produção Eduardo Dj