Notícias

Pop & Arte

Graziela Medori transita nas curvas do tempo do cancioneiro de Marcos Valle

Filha de Claudya, cantora associada ao autor do samba ‘Com mais de 30’, artista paulistana interpreta dez músicas pouco conhecidas do repertório plural do compositor carioca. Capa do álbum ‘Graziela Medori canta Marcos Valle’
Divulgação
♪ Há 13 anos, quando lançou o primeiro álbum, A hora é essa (2011), Graziela Medori deu voz a um balanço da fase hippie da obra dos irmãos compositores Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, Eu não sou causa, sou consequência, apresentado por Claudya – mãe da artista paulistana – em single editado em 1972.
Em 2015, ao lançar o segundo álbum, Toma limonada, Medori voltou ao cancioneiro dos irmãos cariocas, regravando A Paraíba não é Chicago (Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle, Laudir de Oliveira, Peter Cetera e Leon Ware), híbrido de funk e baião lançado por Marcos Valle no álbum Vontade de rever você (1981).
Por isso, o movimento feito pela artista no quinto álbum – Graziela Medori canta Marcos Valle, em rotação desde ontem, 19 de janeiro, em edição da gravadora Joia Moderna – soa natural.
Com produção musical do pianista Alexandre Vianna, arranjador do disco, Graziela dá voz a dez músicas pouco conhecidas do cancioneiro plural de Marcos Valle em gravações feitas no formato de trio de piano (o de Vianna), baixo (acústico e elétrico, ambos tocados por João Benjamim) e bateria (a de Rafael Lourenço, também na percussão).
Em ordem cronológica, o repertório do álbum Graziela Medori canta Marcos Valle é formado por América Latina (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, 1972), Qual é? (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, 1973), Mundo em festa (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, 1973), Momentos de amor (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, 1974), Sei lá (Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle, Laudir de Oliveira e Peter Cetera, 1981), Cidade aberta (Marcos Valle, 1998), Que que tem (Marcos Valle, 2003), Curvas do tempo (Marcos Valle e Celso Fonseca, 2009), Sem crise (Marcos Valle, Mazinho Ventura e Cristina Ventura, 2009) e Vamos sambar (Marcos Valle e Marcelo Camelo, 2010).
Parceria de Alexandre Vianna na música e na vida, Graziela Medori é fruto da união do baterista Chico Medori com a cantora Claudia, intérprete original de um dos maiores sucessos da fase pop da obra de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, Com mais de 30, samba apresentado por Claudia em single editado em dezembro de 1970 e amplificado nas paradas ao longo de 1971.
Mesmo aquém do suprassumo do cancioneiro do compositor carioca, o repertório do álbum Graziela Medori canta Marcos Valle – selecionado pelo DJ Zé Pedro, idealizador do disco – prima por jogar luz sobre títulos obscuros da obra de um artista que, aos 80 anos, festejados em setembro, se conserva jovial como a bossa nova à qual ainda é primordialmente associado em escala planetária.
Marcos Valle avaliza o disco lançado por Graziela Medori com músicas como ‘América Latina’, ‘Curvas do tempo’ e ‘Sem crise’
Divulgação

botão de play

No Ar

NIGHT SONGS
Produção Eduardo Dj