Notícias

Pop & Arte

Como 2023 foi o ano em que mulheres se tornaram as principais apostas para renovação do rock?

Olivia Rodrigo, Boygenius, Miley Cyrus e Demi Lovato mostraram como estilo se recicla com letras sinceras, peso e atitude. Presença em festivais e no Grammy comprovam força delas. O ano em que o rock perdeu suas rainhas, Rita Lee e Tina Turner, foi também o ano em que as mulheres se consolidaram como as principais apostas para a renovação desse estilo.
Na lista de indicações do Grammy 2024, a presença de artistas com pegada mais roqueira nas principais categorias é 100% feminina, com destaque para:
Olivia Rodrigo, cantora americana de 20 anos e dois álbuns com letras confessionais e som cheio de influência do indie e do emo;
Boygenius, banda formada por três talentosos nomes do rock americano, Julien Baker, Phoebe Bridgers e Lucy Dacus.
1) Olivia Rodrigo: nova diva do emo e do indie?
Por que vale a pena ouvir Olivia Rodrigo?
Olivia Rodrigo ajudou a consolidar um pop rock com versos sinceros e angustiados sobre a vida de uma jovem adulta. A sonoridade passa por estilos como o rock alternativo do Weezer (o primeiro show no qual ela foi) e o pop punk do Paramore (que lançou um bom disco neste ano).
Quem diz que Olivia Rodrigo não tem nada a ver com rock deveria ouvir músicas como:
“Brutal” tem som sujo e faz lembrar o rock feminino dos tempos do grunge. O som de bandas como Bikini Kill ecoa na canção de pouco mais de dois minutos.
“Get Him Back!” dá a impressão que estamos diante de um rap rock, por conta do vocal falado. O refrão é bem melódico, com batidas marcadas e violão em primeiro plano.
“Bad Idea Right?” é outra com vocal mais falado, mas também tem um quê de bubblegrunge, o grunge (Nirvana, Pearl Jam) com pegada cantarolável e colante.
“All-American Bitch” traz arranjo que alterna dedilhados fofos e riffs distorcidos de guitarra, em uma versão pop do rock alternativo de bandas como Pixies e Weezer.
“Ballad of a Homeschooled Girl” é um pop rock com distorção nos instrumentos e vocais. A letra autodepreciativa também é outro trunfo da faixa.
“Good 4 U” tem tanta influência do Paramore, que Olivia fez um acordo com os membros da banda e os incluiu nos créditos para evitar um processo por plágio.
2) Boygenius: maior banda de rock do ano?
As capas da ‘Rolling Stone’ com Boygenius em 2023 e com Nirvana em 1994
Reprodução
Elas apareceram na capa da revista “Rolling Stone” repetindo figurino e semblante do Nirvana. Posaram para o EP de estreia na mesma pose de Crosby, Stills & Nash. E escolheram um nome de banda para caçoar de homens confiantes além da conta, supostamente geniais.
O Boygenius surgiu a partir da amizade de três das cantoras mais talentosas do indie rock americano hoje. Julien Baker, Phoebe Bridgers e Lucy Dacus se reuniram em 2018, quando saíram em turnê juntas, cada uma tocando as músicas de sua respectiva carreira solo. A convivência deu origem a uma banda, a um EP, a uma turnê, a um álbum e a uma segunda turnê, que o g1 assistiu ao vivo em junho.
MAIS ROCK FEMININO: O que Brasil pode aprender com lei argentina que fez crescer número de mulheres no line-up de festivais?
Camp rock: como acampamentos musicais estão abrindo espaço para meninas virarem roqueirinhas
Paramore volta ao punk pop pessimista com ‘This is why’
Não se levar (tão) a sério é outro trunfo da banda. Talvez o correto seja que elas se levam a sério na medida certa: não se acham deusas do rock de arena (nada a ver com o classic rock populista do Foo Fighters) e não são “entertainers” acima de tudo (há bons recursos cênicos, mas não espere por um dueto com fantoche de fadinha como nos espetáculos do Coldplay).
O trio Boygenius, formado por Julien Baker, Lucy Dacus e Phoebe Bridgers
Divulgação/Universal Music
Como o Boygenius, um trio de cantoras, se tornou a banda de rock mais interessante de 2023
A parte estética do Boygenius tem a ver com a ideia de ser despretensioso, mas nem tanto. Elas são uma banda de garotas que quer ser falada não por ser uma banda de garotas, mas talvez por ser a banda de rock mais interessante de 2023.
O negócio, definitivamente, não é buscar hits fáceis. Nenhuma das três parece disposta a largar carreiras solo e se dedicar apenas ao trio. O show tem músicas dos dois álbuns lançados e uma sequência, quase sempre no final, em que cada uma canta um single da carreira solo. Além das três, há uma banda de apoio em plataformas no fundo do palco, com baterista, baixista e dois tecladistas.
É o revezamento de vozes e de estilos de composição que torna a turnê do Boygenius, ainda sem previsão de vinda pelo Brasil, imperdível.
O rock está diferente, acostume-se…
Demi Lovato fala sobre sua volta ao Pop Rock
Nos últimos anos, o rock tem mudado de cara e vem entrando em outros estilos, como o pop. Por mais que sejam chamadas de popstars, Miley Cyrus e Demi Lovato possuem os atributos dignos de rockstar.
As ex-estrelas da Disney têm vozes poderosas e poses de rebeldes. Elas cantam power ballads e fazem shows vistos recentemente no Brasil carregados com o peso e a atitude do rock.
Demi Lovato deu sua guinada de vez ao estilo no ano passado, ao lançar “Holy Fvck”, em que apostou no emo e no punk rock. A cantora viaja com uma banda formada por mulheres, bem calcadas no rock. A guitarrista Nita Strauss, por exemplo, saiu da banda do ícone roqueiro Alice Cooper.
Miley Cyrus também tem mostrado suas veias mais roqueiras com apresentações potentes, como a apresentada no Lollapalooza, e covers, a exemplo de “Heart of glass”, do Blondie.
‘Wrecking Ball’, Miley Cyrus: Lucas da Fresno explica hits do Lolla

botão de play

No Ar

SHOW DA TARDE
Produção Eduardo Dj