Notícias

Pop & Arte

CHICO BUARQUE 80 ANOS – Livro traz análises, histórias e opiniões sobre 80 músicas do compositor aniversariante

Capa do livro ‘Chico Buarque em 80 canções’, de André Simões
Cafi
♪ CHICO BUARQUE 80 ANOS – Estendida em maio com a edição de Trocando em miúdos – Seis vezes Chico, livro de Tom Cardoso, a bibliografia sobre Chico Buarque ganha dois títulos neste mês de junho de 2024 por conta do 80º aniversário do artista carioca, a ser celebrado em 19 de junho.
Um é O que não tem censura – nem nunca terá: Chico Buarque e a repressão artística durante a ditadura militar, livro em que o jornalista Márcio Pinheiro historia a luta do artista contra o autoritarismo e a censura decorrentes do golpe militar deflagrado em 1964 e arrochado em 1968.
O outro, Chico Buarque em 80 canções – escrito por André Simões e publicado pela editora 34 com capa que estampa foto do artista em 1984 diante das lentes de Cafi (1950 – 2019) – é o assunto do segundo texto da série de posts do Blog do Mauro Ferreira sobre os 80 anos de Chico Buarque.
Como o título já explicita, o autor aborda a trajetória de Chico Buarque através da exposição de histórias e das gêneses de 80 músicas do compositor. O lançamento segue a linha do apurado Chico Buarque – Histórias de canções, livro editado por Wagner Homem em 2009.
A seleção de Simões vai de Pedro Pedreiro (1965), samba que marcou a estreia de Chico no mercado fonográfico com single editado pela gravadora RGE em 1965, até Que tal um samba? (2022), música lançada há dois anos em single que anunciou o show homônimo com o qual Chico percorreu o Brasil entre 2022 e 2023.
Após um desanimador texto de apresentação em que Simões ecoa e demole críticas dos detratores do artista, o livro traz glossário com palavras e expressões de teoria musical porque a análise das 80 canções também é feita sob o prisma técnico, o que valoriza o livro.
Por ter sido escrito recentemente, o livro traz informações atuais como a decisão do compositor – manifestada em 2022 – de não mais dar voz à canção Com açúcar, com afeto (1966) pelo teor machista da letra – a rigor, uma decisão tola porque a letra da música, a primeira escrita por Chico sob ótica feminina a pedido de Nara Leão (1942 – 1989), apenas conta história fictícia de submissão de uma mulher ao marido, e com um toque de ironia impressa na repetição do verso “Qual o quê?”, ouvido quatro vezes ao longo da canção.
Em contrapartida, a alteração em uma palavra de verso de Beatriz (Edu Lobo e Chico Buarque, 1983), feita em 2023, não consta do texto sobre a valsa-canção composta para a trilha sonora do balé O grande circo místico (1983). No caso, foi desatenção, e não falta de tempo, pois o álbum Que tal um samba? Ao vivo (2023), lançado em novembro, já consta da discografia apresentada ao fim do livro.
Analisadas em ordem cronológica, sempre com uma gravação escolhida como referência, as 80 músicas do livro geralmente são famosas, com exceção de uma ou outra menos conhecida, casos de Qualquer canção (1980), de Grande hotel (Wilson das Neves e Chico Buarque, 1996), de A ostra e o vento (1997) e de Lábia (2001).
E louve-se tanto a habilidade técnica de André Simões para dissecar a forma de melodias, harmonias e letras quanto o teor crítico do autor, que manifesta opiniões em geral pertinentes, como observado, por exemplo, nos textos sobre Outros sonhos (2006) e sobre O que será (1976).
O que será é música que tem duas letras e dois subtítulos, À flor da terra (lançada por Simone na trilha sonora do filme Dona Flor e seus dois maridos e gravada por Chico no álbum Meus caros amigos com Milton Nascimento e arranjo de Francis Hime) e À flor da pele (gravada por Milton Nascimento com arranjo do mesmo Francis em registro sublime feito para o álbum Geraes). Simões aponta com razão que a terceira e menos conhecida versão da música, O que será (Abertura), gravada por Simone, é inferior às outras duas.
Enfim, seguidores fiéis do compositor talvez detectem baixo teor de novidade nas informações reunidas em Chico Buarque em 80 canções. Mas o livro tem valor e é indicado sobretudo para quem quer entrar no rico universo musical de Chico Buarque, um dos maiores compositores do mundo em todos os tempos.
♪ Leia os textos anteriores do Blog do Mauro Ferreira sobre os 80 anos de Chico Buarque:
♪ CHICO BUARQUE 80 ANOS – Shows festejam aniversário do artista no Rio de Janeiro e São Paulo ao longo do mês

botão de play

No Ar

SHOW DA TARDE
Produção Eduardo Dj